Beijo Bom?

Em tempos de guerra, a experiência de provar beijos diferentes é sempre construtiva. Mas antes, uma dúvida: O que é um beijo bom?

Creio que isso seja absolutamente pessoal, mas haveria um modelo ideal? Um beijo, tipo, Gisele Bundchen? Acima de qualquer gosto e suspeita?

Particularmente, o beijo ideal é aquele sem pressa, com desejo, com a língua sem ser tensa demais e nem molenga e despreocupada. Um beijo que começa lento e vai se acelerando, junto com os batimentos cardíacos.

Um beijo no pescoço, uma mordidinha na orelha, e mais beijo na boca, lento mas vigoroso, ávido porém sem pressa. A felicidade por estar junto da pessoa desejada. A descoberta do gosto dela e, mais, o deleite com o fato. Um beijo que parece que não vai acabar nunca, e é tudo isso o que você mais quer: que dure para sempre.

Mordidinhas nos lábios. As mãos em contato, um abraço apertado, correndo suas costas da nuca até embaixo, apertando-a contra mim.

Beijo gostoso… Beijo molhado… no ponto certo.

Mas existem vários tipos de beijo…

Tem uns beijos que são desesperados. Os dentes batem, a língua está tensa, os movimentos pouco à vontade. Típico beijo de quem não achava que isso seria possível. Beijo meio inseguro, assustado… meio adolescente, meio “o quê que eu faço agora?”. Um beijo que deve ter sido aprendido por quem lê a Capricho ou a Carícia.

Tem outros que são malemolentes. A língua frouxa, parece que faz um favor de se mexer e permitir que seja tocada. Alguns gostam disso, segundo eles um beijo de “entrega”.

Pode ser, mas pra mim parece um beijo com má-vontade. Não exatamente isso, mas algo assim. Esse é um beijo de entrega, mas prefiro a iniciativa e a troca. Beijo geralmente de românticas que lêem a “Guia Astral”, buscando nas previsões do João Bidu as dicas pra encontrar o príncipe encantado.

Tem o beijo mecânico. Aquele que a moça parece um dia ter aprendido: “Beijo é assim: Uma mordidinha no lábio, rosto 22 graus pra direita, fecha o olho, abre a boca, língua pra fora, movimentos radiais e, ocasionalmente, transversais e longitudinais. Uma giradinha para a esquerda e pronto! Tá dado o beijo.

Se houver abraço, há retribuição. E só. Dê 50 beijos nela e todos serão iguais, sejam bons ou ruins. Beijos quase matemáticos. Típico de leitoras da Globo Ciência.

Tem o beijo explorador. Esse é um beijo dúbio. Pode ser sensacional ou um lixo, depende da sensibilidade. Pode ser delicioso, com ela explorando os confins da sua boca de uma forma ágil e esperta, deixando você louco pra saber o que mais exploraria com tal sapiência.

Entretanto, em alguns casos, o furor e/ou falta de talento/prática transformam a língua dela num desentupidor, e a língua dela invadindo suas amídalas poderá dar a impressão que você está passando por uma endoscopia. Desastroso! Se você estiver bêbado, pode não ser uma boa ideia. Beijo típico de leitoras da National Geographics ou da revista Viagem.

Tem o beijo troféu. Aquele que acontece rapidamente e a menina some em seguida pra contar pra amigas… Ela te beija com a velocidade de um furacão e some com a mesma velocidade, além de te beijar de olhos abertos pra ver quem está observando em volta. Típico das leitoras de Caras e de Chiques e Famosos.

Tem o beijo fatal. Aquele beijo em que a mulher parece querer provar para você que o beijo dela é o mais gostoso do mundo. Ela vem, te ataca, te beija como se sugasse suas energias e ainda te dá uma passadinha de mão na bunda (ops!).

Pode ser maravilhoso se ela realmente for uma mulher fatal, mas se ela não for e estiver blefando, parecerá uma ninfomaníaca desesperada para arrastar um incauto desavisado. Mas, se não for blefe, cuidado… Típico de leitoras da Nova.

Tem também o beijo divertido. Aquele em que, a cada vez, aparece uma gracinha ou novidade. Meio surpresa.

É quase um Kinder-Ovo! Uma lambidinha no céu da boca, uma mordida mais forte no lábio (ou aquela que não te larga. Assim você vai fazer um piercing no lábio…), um beijinho no cantinho da boca, um beijo arrebatador e em seguida um pudico. Sempre um mistério… se ela for boa nisso, cuidado: Você pode se apaixonar! Típico de leitoras da Superinteressante.

Tem beijos que dão nojo. A-do-ro beijos molhados, mas nunca babados. Nada pior do que você matar toda a sua sede no beijo da garota. Saliva sim, SEMPRE… baba nunca… Vai cuspir na boca de outro…

Tem beijos que as bocas parecem ter sido feitas uma pra outra. Outros que parecem que não se encaixarão nem com anos de treino.

O gosto, o cheiro, o jeito… o beijo é o momento mais íntimo que posso imaginar. Beijo é a sublimação do desejo. A porta de entrada para o mundo do sexo e compromisso, ou do prazer e carinho. Nada acontece antes do beijo, em 99,9% das vezes.

O beijo é o cartão de visitas do amor.

Sexo é sexo, prazer é prazer, e pode ser impessoal. Basta uma boa dose de tesão e teremos uma boa sessão de sexo… Mas o beijo… ele é o ápice da entrega! A sensação de euforia após aquele beijo tão esperado, a alegria da conquista tão desejada…

Nada substitui um bom beijo.

Nada…

Nem mesmo uma festinha com coelhinhas da Playboy…

Pensando bem….talvez eu tenha exagerado…

Tags: , , , , , ,

Obrigado pelo seu comentário! Volte sempre... =)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: